borbo color2.jpg

MUDANÇAS?

Embora sejamos tão resistentes a mudanças, elas nos acompanham desde nossa formação ainda no útero e, de forma natural, fazem parte de nossas vidas, de nossas experiências e de nosso crescimento, mas nem sempre nos damos conta disso. Estamos sempre tão apressados!

Tudo muda o tempo todo, mas pouco percebemos focados em nossa rotina diária.

 

As vezes precisamos parar para pensar nas mudanças que precisam ser realizadas em nossas vidas, os planos que precisam ser colocados em prática, enfim, coisas que postergamos por falta de tempo (que não demos a elas) ou porque na verdade não sabemos bem o que fazer a respeito. Somos cautelosos quando se trata de mudanças e com isso podemos perder muitas coisas boas pelo receio do desconhecido, ou então, resistimos tanto que quando a mudança ocorre pela força do próprio destino, fica a sensação de que foi um longo e cansativo caminho percorrido, mas nem nos damos conta que este “longo” ficou aí pelo medo, o que tornou o caminho mais íngreme pela resistência a algo que já estava acontecendo naturalmente, e muitas vezes até para melhor!

Para muitos a palavra mudança vem repleta de recordações, e logo o que vem à mente é mudança no sentido de mudar de casa, escola, brinquedo, emprego, parceiro, etc, mas à medida que crescemos, percebemos que mudança é algo mais profundo e que tem muito a ver com nós mesmos.

 

Ao longo dos tempos, o mundo anda tão apressado e ouvimos falar tanto em mudanças que parece até um modismo. Elas soam como algo tão simples, o que para muitos, passou a ser sinônimo de frustração.

Não existe mágica, tudo é construção, processo...

 

Livros e reflexões estão repletos de receitas e conselhos para qualquer um realizar a própria mudança, tão rápida e facilmente, que parece incrível que alguém não consiga chutar o balde ou virar a mesa para finalmente ser bem sucedido! Então, passamos a nos questionar e até a achar que somos meio covardes em nossos receios, mas, observando de um outro ângulo, isto deixa de ser covardia e se torna responsabilidade, afinal, temos uma vida! Certas coisas que conquistamos com tanto empenho não podem simplesmente ser descartadas numa virada de mesa em prol de tentativas se não temos um respaldo concreto. Para saltar de um avião precisamos de um paraquedas, ou vamos achar que no meio do caminho para a queda teremos uma ideia mirabolante que nos levará ao solo em segurança ou uma mágica nos levará ao ponto de partida? É ilusório imaginar que possamos jogar conquistas pela janela simplesmente por uma certa necessidade de mudança sem que haja algo palpável que nos assegure. Convém a cada um reavaliar-se, analisar suas chances e decidir a melhor opção para si mesmo e sua vida.

 

Cada um encontra seu próprio caminho sem se deixar influenciar pela facilidade de uma receita pronta. É certo que mudanças fazem parte da vida, mas também não precisam ser tão radicais a ponto de chutar o balde para que sejam chamadas de mudança. Podemos realizar pequenas mudanças no dia-a-dia, em coisas simples, em pensamentos e ações que com o tempo vão modificando nosso viver de uma forma mais suave, onde podemos nos acomodar e pisar em terreno seguro, um pé de cada vez. É preciso germinar e fazer brotar pequenas mudanças, assim, vamos evoluindo, transformando, fazendo com que pequenos gestos sejam como pequenos ensaios para algo grandioso! Algo que soe como um renascimento de si mesmo! Até mesmo uma remodelação de algo que já existe pode provocar uma sutil e positiva mudança. Uma nova forma de olhar, de pensar, de sentir.

É preciso acreditar que possuímos uma incrível força dada a nós pelo Criador capaz de nos regenerar e reinventar! O que não podemos é estagnar e parar de viver para apenas sobreviver, porque somos feitos de vida. Vida que transpiramos pelos poros! Mudanças fazem parte da vida que é um ciclo constante, e se pararmos este ciclo por medo das mudanças, estaremos sabotando nossas chances. Sendo assim, não tentamos, não mudamos, nos acostumamos e simplesmente estagnamos. Mas vida é ação, é movimento constante e como a água, se ficar muito parada apodrece, e com ela também os sonhos, as vontades e as nossas idealizações...

 

É preciso compreender que toda e qualquer mudança começa por nós mesmos e assim como uma pedra que atirada no lago forma ondas atingindo e movimentando um determinado espaço, nossas ações também têm o poder de provocar mudanças ao nosso redor. Ação e reação. A vida nos presenteia toda manhã com um novo dia, uma continuidade de vida que se renova em pensamentos e ações, provocando mudanças que são tão necessárias à nossa própria existência. Cada novo dia é também uma nova oportunidade para refletir sobre nossa própria existência e do que de melhor podemos fazer por ela através de nós mesmos.

AUTORIA: SILVANA LANCE ANAYA - Psicanalista e Psicoterapeuta Psicodramatista, Pós-graduada em Teoria Psicanalítica, Pós-graduada em Psicologia, Nutrição e Transtornos Alimentares -MBA em Coaching - Bacharel em Administração de Empresas - Jornalista (Mtb 75200/SP)

*DIREITOS AUTORAIS

 Permitida a reprodução do texto ou parte dele desde que citada a autoria