A terapia de família constitui-se num método que trata das relações familiares, não tratando o indivíduo isoladamente, mas sim o grupo familiar como um todo e o vínculo entre seus membros, onde as características dos indivíduos fazem parte de um ciclo de contínuas ações e reações e não provêm apenas de fatos isolados.

O objetivo é tentar modificar o funcionamento da familia e criar um espaço para o diálogo onde cada um dos envolvidos expõe sua visão dos conflitos/problemas buscando restabelecer um convívio possível dentro da particularidade de cada um e da família em questão, prevenindo até mesmo conflitos futuros pela assimilação que cada um vai adquirindo, auxiliando na conquista ou reconquista de relações harmoniosas, respeitosas e saudáveis entre os seus membros.

 

Em momentos de crises ou de acontecimentos que afetem o equilíbrio, a terapia visa atuar como suporte para que a família lide com sentimentos diversos visando a compreensão mútua no entendimento da resposta emocional de cada um diante da situação ou propiciando respaldo e fortalecimento para enfrentar as mudanças de maneira mais saudável.

Ela não substitui a terapia individual que é sempre benéfica para fortalecer o emocional e tornar a pessoa mais sensível a diversas questões que afetam a família, ampliando a visão e o entendimento, colaborando para o bem estar familiar.A terapia é indicada sempre que conflitos na relação estejam prejudicando a harmonia familiar, o que pode, inclusive, estar provocando sintomas em um ou mais membros da família como reflexo da dificuldade enfrentada (rebeldia, alcoolismo,drogas,depressão,etc)

 

“Num grupo familiar disfuncional os modos de interação entre seus membros vão-se cristalizando, quer na forma de distanciamento, ou de excessiva interferência na vida uns dos outros, formando alianças entre alguns membros, deixando outros periféricos, ou transformando outros em bodes expiatórios (geralmente a criança). Sintomas como baixo rendimento na escola, agressividade, depressão são vistos como próprios da pessoa sintomática, e esta é vista como um caso isolado. Nesse pano-de-fundo as famílias enfermas fracassam progressivamente no cumprimento de suas funções familiares essenciais, (Carneiro, T., 1983).”

 

Se a família contribui para a produção dos comportamentos-problema de um membro, ela também pode contribuir para a solução dos mesmos e quanto antes a família procurar ajuda, menor as chances de se instalar situações crônicas e complicadas com distanciamento de seus membros.

 

O tempo de sessão da terapia de família varia de acordo com o número de membros envolvidos (geralmente duração de 1 hora) e a quantidade de sessões não é determinada pois depende da evolução do trabalho.

A abordagem é orientada para a obtenção de resultados num prazo curto e realizada, de preferência, com todo os membros da família.

TERAPIA DE FAMÍLIA

 

" É TRISTE OBSERVAR QUE POR MUITAS PESSOAS CARREGAM CONFLITOS POR ANOS A FIO, MAS PELO MEDO DE QUE 

ALGUÉM AS JULGUEM LOUCAS, NEURÓTICAS OU  DESCONTROLADAS, DEIXAM DE PROCURAR AJUDA." 

 (Silvana Lance Anaya)

 

 

NINGUÉM FAZ TERAPIA PORQUE É LOUCO, MAS SIM PORQUE NINGUÉM É DE FERRO.

 

Atendimento particular com hora marcada

 

individual, casal, família, adolescente (a partir de 12 anos), idosos.

Acompanhe as redes sociais

  • Facebook Social Icon
  • Instagram
  • YouTube Social  Icon
  • Twitter Social Icon