É comum o termo fazer terapia, análise, psicoterapia... psicanalistas, psicólogos, psiquiatras, etc, mas muitos confundem e acabam sem saber direito onde buscar exatamente aquilo procura. Estes profissionais tem a missão de atender aqueles que querem mudanças em um ou mais pontos da sua vida e cada um terá percepção e abordagem terapêutica diferentes para compreender o complexo funcionamento mental do ser humano.

O melhor será aquele trouxer compreensão acerca dos seus pensamentos e emoções angustiantes e aquele com o qual você se sentir bem. O objetivo é entender os sentimentos, compreender as pessoas ao redor e, especialmente, propor outros pontos de vista, como agir de maneira diferente, amenizar as reações e emoções que trazem sofrimento, enfrentar medos, fobias, ansiedade, traumas, culpa, etc e promover amadurecimento e fortalecimento emocional. 

A psicanálise surgiu dos estudos e investigações de Sigmund Freud, médico neurologista vienense do século XIX, e se ocupa da compreensão e análise do homem. Exclusivamente por meio de diálogos, o psicanalista procura a cura para as enfermidades físicas e mentais do paciente. Apesar de estar inserida na psicologia, pois é uma forma de psicoterapia, a psicanálise pode ser entendida como um campo à parte. O psicanalista trabalha para melhorar a relação do ser com o mundo e com os seus questionamentos sem fim e com dificuldades com os universos interior e exterior, auxiliando no autoconhecimento e a habilidade em lidar com problemas do próprio eu, a suportar as responsabilidades e encarar as frustrações da vida.

A psicanálise considera a presença e ação do Inconsciente. Um dos seus fundamentos teóricos é que os seres humanos não têm controle consciente sobre muitas das nossas memórias e pensamentos, e por isso é imperativo a constância de uma  análise rigorosa e completa do inconsciente para solucionar os problemas psicológicos do presente.

A psicanálise investiga a relação entre estes aspectos inconscientes que influenciam nossos relacionamentos e os padrões de pensamento, do comportamento e dos sentimentos. No longo prazo a antevê a possibilidade de um sujeito cada vez mais capaz de assumir sua posição adulta, responsabilizando-se por seu próprio desamparo instituído e por seus atos no mundo.O objetivo é liberar emoções e experiências reprimidas, ou seja, tornar consciente o que é inconsciente. O trabalho psicanalítico clínico é um método profundo de trabalho que visa compreender o "sentido" do nosso inconsciente.

A Psicologia é a área que se ocupa de psicoterapias e psicodiagnósticos. O psicodiagnóstico é elaborado a partir de entrevistas e realização de testes com o paciente e se diferencia do diagnóstico médico por ser uma técnica exclusiva do psicólogo (psiquiatras e psicanalista não podem aplicá-los). Este profissional está habilitado para lidar com problemas de ordem psicológica e comportamental, assim como realizar sessões de psicoterapia, orientação psicológica e psicodiagnóstico (testes) entre outras atividades organizacionais, educacionais e sociais , executando tarefas que vão além do diagnóstico e tratamento individualizado de pacientes. Ao se comprometer com a integridade da psicologia, este profissional necessita excluir o inconsciente ao passo que o psicanalista precisa mantê-lo em questão. Utilizam a psicoterapia como ferramenta de trabalho, um conjunto de técnicas que analisam os problemas emocionais, comportamentais ou transtornos mentais e conduzem o cliente a um processo de conscientização de seu comportamento e sentimentos para lidar com as dificuldades.

O psiquiatra é um profissional licenciado em Medicina com especialização em transtornos mentais. Diferentemente da Psicologia e da Psicanálise, um tratamento psiquiátrico pode fazer uso de remédios. É uma parte da medicina que trabalha diretamente com os aspectos fisiológicos das manifestações psíquicas indesejáveis, tendo uma metodologia de tratamento essencialmente medicamentosa embora alguns profissionais também realizem atendimento em psicoterapia.  O encaminhamento para este profissional pode ser dado por um psicólogo ou psicanalista ou médico, que detecta a necessidade do uso de medicamentos para aliviar os sintomas. O Psiquiatra pode sugerir a busca de psicanalista ou psicólogo para tratamento coadjuvante através de psicroterapia.

PSICANALISTA, PSICÓLOGO ou PSIQUIATRA?

 

" É TRISTE OBSERVAR QUE POR MUITAS PESSOAS CARREGAM CONFLITOS POR ANOS A FIO, MAS PELO MEDO DE QUE 

ALGUÉM AS JULGUEM LOUCAS, NEURÓTICAS OU  DESCONTROLADAS, DEIXAM DE PROCURAR AJUDA." 

 (Silvana Lance Anaya)

 

 

NINGUÉM FAZ TERAPIA PORQUE É LOUCO, MAS SIM PORQUE NINGUÉM É DE FERRO.

 

Atendimento particular com hora marcada

 

individual, casal, família, adolescente (a partir de 12 anos), idosos.

Acompanhe as redes sociais

  • Facebook Social Icon
  • Instagram
  • YouTube Social  Icon
  • Twitter Social Icon